O caminho da vida é lindo, cristalino, puro e verdadeiro, porém, é também um caminho de mortes, de guerras, aflições, decisões e determinação e a luta é pela vida do espírito que em meu imo habita. O meu senhor grita pelo meu nome dia e noite me chamando para ao seu lado combater contra o mal, e eu lhe digo: senhor, meu coração está aqui para contigo ir. Ele diz: não tenha medo do que vou fazer, confie em mim, irá sofrer um pouco, mas logo depois aliviarei a sua dor, no começo irá chorar, sentirá o peito queimar, o fogo virá quente consumindo o seu interno, mas não se assuste, pois isto tudo precisa acontecer. Eu digo: pode vir meu senhor, a minha alma é sua, faz dela o que for preciso, só te peço muita força para suportar a tua chegada. Ele diz: eu sou sua fortaleza, eu sou as suas asas, sua liberdade e felicidade. Eu digo: meu senhor me dê o seu abrigo e amor. Ele diz: já tens tudo de mim, é só pegar para ti também com amor.

Eu digo: então venha meu senhor e faça o que precisa ser feito, só não se incomode com minhas lágrimas, pois é por causa de ti que molho minha face, não é fácil, mas só com a morte do meu corpo carnal podemos nos unir de vez e o meu luto com o senhor ao meu lado fica melhor, pois és o meu braço forte, o peito clama aqui dentro pelo alívio da paz do meu senhor. Mas ele diz: acalme-se e fique quietinha. Eu respondo: sim meu senhor, suportarei calada a dor de minha morte, mas se eu gritar não se aborreça comigo, pois é a ferida que o senhor está espremendo e como sinto todas as coisas, sentirei a sua mão sangrando e moldando o meu coração. Ele diz: creia em mim. Eu respondo: eu creio, pois em ti busquei amparo para a minha alma e sei que debaixo de sua sombra estarei segura e descansada…

Por Maria Lúcia