Somos tão poucos que dá até para contar nos dedos. Somos luzes no meio de tantas trevas, somos a voz de Deus que soa sobre a Terra, somos chuva de bênçãos que caem todos os dias do céu, somos iguais os passarinhos que cantam ali e acolá a melodia divina, somos como a águia que voa alto entre as nuvens para trazer alimentos para o povo rebelde desse mundo, somos poucos. Como andarilhos visitamos muitas terras, cidades e campos. Na boca as palavras, no coração o guardião e nas mãos a semente celestial para plantarmos a vida e sua canção. Somos poucos em número, mas dentro de nós há um que vale por um exército. Então somos muitos, pois a cavalaria de Deus luta ao nosso lado para vencermos as trevas. Hoje sou negado por vós, mas amanhã serei acolhido pelo meu Pai que habita no céu…

Por Maria Lúcia