Pássaro, pobre pássaro, deveria continuar voando pela imensidão deste céu, sobre os altos das colinas, em meio das grandes matas sentindo a brisa dos mares, enxergando novos horizontes, sentindo o aquecer do sol penetrando o seu coraçãozinho. Poderia ir longe alçar longos voos, o chão não seria o seu ponto final, mas o céu era para ser o seu descanso eterno. Porque voos rasantes se tem asas para tocar as estrelas?

Não se veja assim tão pequenino, pois foi Deus quem te fez assim leve e livre para seguir o seu destino. Voa, voa, voa grande passarinho, não se conforme em pousar em árvores mortais, não tenha medo dos galhos quebrarem, pois você tem asas e pode voar em busca de sua rocha para pernoitar e com ele seguir viagem para nunca mais voltar aqui. Sentado em uma árvore não é o seu lugar, pois as suas asas podem te libertar para um novo caminho que irá te salvar….

Por Maria Lúcia