Antes de nascermos neste mundo, não tínhamos consciência de nada, e foi justamente neste mundo que produzimos a nossa consciência. Inclusive a consciência é o fruto da criação humana, e ela se trata de um estado, não tem como definir uma consciência, mas sabemos que ela tem suas funções, pois é por ela que pensamos, raciocinamos, formamos ideias, decidimos, agimos e principalmente manifestamos. É a consciência que tem todas estas funções e sem consciência nada tem importância de ser, pois de que vale um grande tesouro sem a consciência dele? Quer dizer, produzimos algo complexíssimo e é justamente a consciência que produzimos como criação que interessa a Deus. A consciência é neutra e é ela que pode fazer parte do corpo de Deus, a consciência não tem limite, ela é tudo o que se manifesta nela, e se a consciência manifestar a existência espiritual, isto é, fazendo-se uma com o espírito, ela se torna sem fronteiras, pois ela transpõe de planos, ela é a única que pode sair deste plano material e adentrar o plano espiritual, tudo depende se ela inseminar e gestar o filho de Deus nela. Se esta metamorfose ocorrer dentro da consciência, ela transporá deste plano material e nascerá no plano espiritual. Isso é ser uma consciência sem fronteira, quando este corpo carnal morrer, a consciência adentrará o plano celestial pelo espírito, e tudo se fará novo.

Por Kátia Campos