Liberte-se de si mesma

Uma coisa é certa, quando falamos em nos libertar, é porque estamos presos, pois ninguém se libertará se não estiver preso a alguma coisa. A palavra libertar já nos arremete uma coisa boa, de liberdade, de alforria e só a palavra em si, conforta os nossos corações. Mas libertar-se do que? Hoje vivemos em um mundo que todos são individualistas e pensam só em si mesmos. Se cada pessoa parar e analisar, verá que tem duas existências em si mesma, pois temos a nossa carne, que é este nosso corpo carnal o qual vemos, e temos também o espírito de Deus que já está dentro de cada um de nós pela vida que temos. A carne é provisória, mas o espírito é eterno. O tempo da carne é só este, enquanto passamos por este mundo, mas o tempo do espírito é o eterno. Nós, como seres humanos, produzimos a consciência como um fruto natural, e a consciência está ligada a carne como um fruto que está ligado ao seu pé. É a carne que aprisiona todas as consciências pelos sentimentos e as acorrentam tanto, que elas não conseguem se libertar dela. Mas foi a própria consciência que se ligou a carne, e se ligou de uma maneira tão forte, que os sentimentos carnais enraizaram dentro delas.

Agora, para a consciência que chegou ao conhecimento do propósito de Deus deve se desligar da carne, isto é, perder qualquer sentimento que tenha pela carne, se libertar de uma vez por todas destes sentimentos, para que assim, a consciência se ligue no espírito de Deus e tenha todos os seus sentimentos por ele. Mas como fazer isso? Só conseguimos nos libertar da carne, se nos relacionarmos com o espírito, o buscarmos de fato de todo o nosso coração e de todas as nossas forças. Devemos conhecê-lo dia a dia, nos identificarmos com ele e o sentirmos fortementente com todo amor e zelo que ele tem por cada consciência que se entrega em suas mãos. Devemos confiar no espírito e deixá-lo fazer toda a obra dentro da nossa consciência, é uma metamorfose em vida, mas necessário para a vida eterna dela. A existência da carne deve virar sopa dentro da nossa consciência, para brotar o novo dentro dela, que é o espírito de Deus. Só assim libertaremos a nossa consciência e nasceremos no reino de Deus pelo espírito. Isto é libertar-se de si mesma, mortificar a carne para vivificar o espírito de Deus, um novo ser nascerá e a consciência verá novos céus e nova terra.

Por Kátia Campos