Todos nós, seres humanos, vamos morrer um dia e isto é certo. Inclusive uma coisa certa para todos, é que um dia morreremos na carne, todos sabem disso. Mas o que é morrer? Será que existe uma maneira de não morrermos? É muito esquisito a nossa passagem por este mundo, pois nascemos aqui, vivemos por um tempo neste mundo, e simplesmente um dia morreremos e nunca mais voltaremos aqui e nunca mais nos veremos uns aos outros pela carne.

Mas certo é que estamos dentro de um propósito, e Deus criou todo este mundo para o bem de si mesmo. Deus criou tudo deste mundo pelo propósito Dele, e o que Ele visa de tudo daqui, é a consciência que o ser humano produz. A consciência é como se fosse um campo de manifestação, nela manifesta todas as coisas, tanto as coisas materiais quanto as coisas espirituais. Mas já sabemos que a carne morre, mas o espírito de Deus que nos dá a vida não morre, pois, a vida é própria dele. Agora, a consciência que produzimos, esta por qual pensamos, raciocinamos, formamos ideias, determinamos e agimos, não morre, ela também é eterna. Acontece que esta consciência deve se fazer uma com o espírito de Deus, pois se ela se fizer uma com ele, ela também terá uma vida eterna só de prazeres.

Mas se a consciência não se fizer uma com o espírito da vida e ficar ligada a carne que morre, quando o espírito voltar a Deus e a carne voltar ao pó, esta consciência enfrentará uma eternidade no vazio do nada, e isto será terrível. Esta é a segunda morte que se diz, pois, a primeira morte é certa e todos esperam por ela, mas você morrer para aquilo que deveria ter feito, que é ter realizado o propósito de Deus em si e não fez, aí meus queridos, será só choro e ranger de dentes. Perdeu a vida que era o bem mais precioso, perdeu a carne que era criação e que o seu papel foi só de produzir a tua consciência e se perdeu no vazio eterno do nada, isto é, sobrou apenas a consciência vazia, sem nenhuma existência.

Por Kátia Campos