Tudo o que acontece é sentido dentro da consciência. Se as consciências tivessem consciência da própria consciência, com certeza buscariam uma melhor. É a consciência que manifesta, é na consciência que pode ser refletido a imagem de Cristo, é a consciência que precisa despertar do sono da morte, que é justamente ela acordar para vida e morrer para a carne, é a consciência que sente angústias, ou pode também sentir a paz, é a consciência que precisa se libertar de tudo e de todos os sentimentos carnais e se ligar no espírito e passar a ter todos os sentimentos espirituais. Isso tudo ocorre dentro da consciência, a existência não sente, apenas provoca desejos e vontades para a consciência realizar, mas quem sente as coisas é a consciência, e ela pode sentir coisas boas, quanto coisas más, depende de onde ela estiver ligada.
A existência material provoca frustrações, decepções, angústias, tormentos e só sentimentos que deixam a consciência ruim, e todos estes sentimentos é sentido na consciência. Agora a existência espiritual provoca paz, mansidão, tranquilidade, benignidade e só sentimentos que deixam a consciência totalmente saudável, feliz, e estes sentimentos é sentido na consciência. A existência material é morta em si mesma, mas a existência espiritual tem vida própria. O nosso corpo carnal só serviu para produzir a consciência, mas produzida, a consciência deve enxergar que a carne é morta em si mesma e que o espírito é quem nos dá a vida.
A nossa consciência só dará sequência a vida pelo espírito de Deus, e para isso tem um processo que deve ocorrer dentro de cada consciência. Um processo de purificação, até a consciência estar completamente desligada da carne, e automaticamente ocorrerá uma metamorfose dentro dela, uma transformação, a consciência deixará o ser carnal, para dar lugar ao ser espiritual. Um novo ser, um novo corpo, novas atitudes, e tudo isso ocorre dentro da consciência, e ela sentirá tudo isso, mas compreenderá todo este caminho pelo amor que ela tem por Deus e por seu propósito.
Por Kátia