A consciência é o pavilhão da eternidade, pois ela é um abrigo, uma morada eterna para o espírito. O espírito precisa da consciência e a consciência precisa do espírito, os dois juntos formam a simetria perfeita, o espírito precisa da consciência para ser manifestado e a consciência precisa do espírito porque ela sem existência é vazia, por isso um completa o outro. Temos a existência material e a existência espiritual, a existência material é morta, então não devemos manifestá-la, devemos nos manifestar pela existência espiritual, pois ela sim é eterna, temos que fazer de nossa consciência um templo de manifestação, uma casa, uma moradia para o espírito de Deus e temos que deixar ele limpá-la, nos purificar, para assim termos uma casa limpa e pura para o filho de Deus habitar.

 

Por Arthur Campos