Uma afirmação muito importante sobre a principal coisa que os seres humanos produzem naturalmente como criação, é a consciência, pois quem é que não sabe que tem consciência? Ninguém se depara verdadeiramente com isto por usar a consciência somente como uma expressão, mas ela é muito mais do que isto por ser uma grandeza, a qual eu chamo de pavilhão da eternidade, onde Deus quer habitar. Isto é só para descrever o quão grande pode ser uma consciência com a existência verdadeira, que é a do espírito que já nos dá a vida e também o quão pequena ela pode se tornar estando ligada a carne com os seus tormentos psicóticos. Mas como não se pode ver a consciência com os olhos mortais, por ser um fruto natural produzido pelo ser humano, ela não é levada a sério, assim como a ação da vida que vivifica toda a matéria, pois a ação da vida é que dá condições e movimento para todo o universo existir.

E de onde provém a vida? Esta é a pergunta que todos deveriam fazer para entender a resposta de Deus que ecoa dentro de cada um de nós a respeito do propósito da vida, mas pela falta de crédito das consciências a esta voz que vos fala, o mundo está do jeito que vemos, em uma condição lamentável, com todas as consciências em um estado psicótico profundo e com muitas doenças dos finais dos tempos, onde a consciência cria alucinações, delírios, mudanças comportamentais e pensamentos variados e confusos fora do que é a realidade do propósito da vida.

Hoje eu vejo a importância que se deve ter sobre a compreensão e a prática do propósito da vida, pois isto resultaria verdadeiramente na união entre o espírito e a consciência para fazer parte do corpo de Deus, onde o estado de graça é o céu que se encontra dentro de cada consciência.

 

Por Lauro Balbino