A bíblia é um livro analógico, isto é, metafórico, e todos os seus personagens representam em nós a carne, o espírito ou a consciência. E cada um deles tem um monte de adjetivos, a começar pelo espírito que representa em nós Deus e a carne pode ser o diabo. A consciência faz o papel da mulher dentro do propósito da vida, pois é nela que é inseminado e gestado o espírito de Deus. Alguns adjetivos do espírito são: senhor, o vindo de Deus, o Deus conosco, o senhor justiça nossa, o Emanuel, o Cristo, a luz do mundo, o caminho da vida, a videira, a pedra angular, a rocha e etc. Os adjetivos da carne são: criação, ela pode ser um instrumento nas mãos de Deus, mas pode também ser o faraó da consciência, o amante, o Egito, a traidora, a Jezabel que levantava tropeço ao povo de Israel, o engano, o vestido velho, o barro que para nada se aproveita e etc. Ela teve a utilidade dela, mas depois atrapalhou a consciência de prosseguir no caminho da vida. Os adjetivos da consciência são: a esposa de Deus, a igreja, a casa de Deus, o templo do senhor, o monte de Sião, a coluna do templo de Deus e etc., mas tanto os profetas como os apóstolos também qualificaram as consciências pejorativamente como: meretriz, adúltera, prostituta, agoureira, asna selvagem, jumenta montês e etc.

E foi por causa destas analogias que fez confusão na cabeça dos seres humanos, principalmente a analogia de Jesus, que por falar pelo espírito de Deus, este mesmo que já nos dá a vida, os seres humanos o confundiram com Cristo, porque Jesus disse: porque eu desci do céu, não para fazer as minhas vontades, mas a vontade Daquele que me enviou, que é Deus, e sei que a vontade Dele é esta: que não se perca nenhuma daquelas consciências que se me deu, mas que eu as ressuscite no último dia. Na verdade quem disse este texto não foi Jesus, mas sim o espírito que dava vida a ele, porque quem desceu do céu não foi Jesus, mas sim o espírito de Deus que lhe dava a vida. João testificou este espírito em Jesus e ouviu uma voz do céu que dizia: este é meu filho amado em quem a minha alma se compraz. Deus não estava se referindo a Jesus na carne, mas do espírito que João testificou na consciência de Jesus. Todo velho testamento fala do senhor, mas o senhor não é Jesus, mas sim este espírito que já nos dá a vida. Davi elegeu este espírito senhor da consciência dele e também se tornou um filho legítimo da vontade de Deus, assim como Jesus, Abraão, Isaque, Jacó, Rebeca, Rute, Ester, Paulo e tantos outros.

Hoje, eu também elegi este espírito senhor da minha consciência, e também me tornei um Cristo de Deus. Jesus é meu irmão, e não o meu salvador, ou senhor. Maria também é minha irmã, e ela não intercede por mim. O que mais temos no mundo são Judas, que é o traidor do filho de Deus, não Jesus, mas do Cristo, do vindo de Deus, que já é este espírito que nos dá a vida. Mas quem se importa com este espírito? Isaías disse que ele foi ignorado, rejeitado e que ninguém fez caso algum dele. E é o que vemos hoje, principalmente nas igrejas que constituíram Jesus o senhor deles, e o espírito de Deus simplesmente ficou ignorado dentro deles.

Por O teu espírito diz