Chegar ao conhecimento de, passar a ter uma habilidade técnica, instruir-se sobre, descobrir algo. A consciência humana chega a conhecimentos profundos através de investigações, de raciocínio, de experiências. Chegamos ao conhecimento dos átomos e das reações atômicas, descobrimos a infinidade de produtos novos elaborados em laboratórios, as fibras ópticas, o plástico, os derivados de petróleo, os medicamentos químicos e todos os dias ainda está se descobrindo coisas novas. As consciências chegaram a capacidade de criar, hoje temos infinitas criações complexíssimas, os satélites, os celulares, o avião, o computador, são infinitas criações complexíssimas. Descobrimos o fogo, a roda, a gravidade, chegamos até ao conhecimento do universo, das galáxias, das estrelas, dos planetas, dos satélites, dos movimentos dos astros, da velocidade da luz, do acúmulo de energia em cada corpo, mas a ciência humana tem um problema grave, ela não consegue sair desse plano material e desconhece o plano espiritual, desconhece a existência do espírito, desconhece a vida que vem do espírito, desconhece o propósito de Deus, desconhece o que o ser humano produz como criação, não consegue sair da morte da carne, desconhece o pós-morte, desconhece o antes, desconhece o caminho da vida, desconhece a procriação espiritual, enfim, desconhece o propósito da vida. Chegou a este mundo, mas não sabe como sair dele e aceita a morte como o fim.

De que valeu termos chegado até aqui e não sabermos como continuarmos em frente com a vida? Outro plano, outro corpo, outra dimensão, outra vida, outro tudo. Como chegarmos à vida eterna? As religiões chegaram a este ponto só com absurdos, só com faz de contas, só com fantasias, a salvação para eles não é regida por leis e princípios, mas por ser bonzinhos, por fazer caridades, por ir à igreja e pagar o dízimo. É isso que as religiões ensinam, uma salvação comprada, tem religião que chegou até a vender indultos de perdão, como se isso fosse colocar o indivíduo na próxima fase da vida, isto é, “deus” é comprado com dinheiro, deus precisa do dinheiro para sua obra, é o que eles dizem, e o povo, coitado, é enganado com esses absurdos. Ensinar o que para esses mentecaptos que só pensam em suas vidas aqui no mundo e criam deuses a seus favores? Se as próprias consciências não se importam em caírem no vazio eterno, o que fazer nesse meio?

Por O teu espírito diz