É muito simples este entendimento, primeiro devemos nos identificar quem somos, depois ver que temos duas existências em nós, a carne e o espírito. A carne já sabemos que não tem vida própria e que é só o espírito voltar a Deus que ela morre, isto é, a vida é própria do espírito e é ele quem já nos vivifica como Jesus disse. Nós somos a consciência e fomos produzidas pela criação humana, mas sabemos que como criação somos descartáveis, e que é só o espírito voltar a Deus que este nosso corpo carnal vai para o caixão.

A consciência que conseguir ver isto e se desligar da carne antes que ela morra e se ligar no espírito de Deus, a consciência terá a vida eterna dela lá no plano do céu pelo espírito. Trata-se de um outro corpo, um outro plano e uma outra vida e isto já está montado dentro de nós pelo Criador Deus, que aliás, estamos neste mundo só por conta disso, não viemos aqui para outra coisa. O que as consciências humanas fazem é loucura, elas ajuntam tesouros em um lugar em que vão morrer, perderão a vida eterna e ainda cairão no vazio eterno e de que valeu ter vindo a este mundo e cair em uma desgraça eterna? As consciências se tornaram escravas de si mesmas na carne, não aproveitaram a vida deste mundo, e de quebra ainda perderão a vida eterna do espírito, e pior, jogarão a consciência que produziram no vazio eterno. Grande coisa o que a tua consciência acha que fez neste mundo?  De que vale ao Homem ganhar o mundo todo e perder a sua alma? Você juntou fortunas neste mundo, mas quem levará? Passará uma eternidade no vazio e não vai aproveitar nada do que juntou. Por isso Jesus disse: ajunteis tesouro no céu, porque lá você desfrutará deles eternamente.

Temos que fazer o que João, o batista, fez, vendo o propósito de Deus, ele disse: quem tem a noiva, que era a consciência dele, era o noivo, que é o espírito de Deus, mas o amigo do noivo, que era ele na carne, fica feliz ao ouvir a voz do noivo, e este meu gozo já está cumprido. E que de agora em diante, o espírito de Deus cresça por minha consciência e que a minha carne diminua, isto é, a minha consciência está trocando de corpo, ou ainda, ela está deixando de ser uma lagarta e passando a ser uma borboleta, trata-se de uma metamorfose. Estou arrancando o que é provisório da minha consciência e estou estabelecendo o que é eterno.

Por O teu espírito diz