Incubadora: local que mantém condições favoráveis para o desenvolvimento e crescimento de um novo ser. A consciência que produzimos como criação, é considerada como um campo fértil, onde tudo o que se planta nela, brota, cresce e produz frutos. Já temos duas sementes nas nossas mãos e podemos plantarmos nas nossas consciências. Uma é a semente da carne e a outra é a semente do espírito. Paulo disse que nós podemos ter frutos da carne e frutos do espírito, dependerá da semente que plantarmos nas nossas consciências. Jesus disse: pelos seus frutos vos conhecereis. E Paulo até enumerou alguns frutos da carne e alguns frutos do espírito, dizendo: os frutos da carne são: a lascívia, a vaidade, a avareza, a soberba, o ciúme, a ira, a inveja, as contendas, as dissensões, a glutonaria e coisas semelhantes a estas. E os frutos do espírito são: o amor, a compreensão, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a mansidão e coisas semelhantes a estas. E nem precisava Paulo ter dito isto, pois nós mesmos sabemos quais são os frutos da carne e quais são os frutos do espírito.

As consciências que são ligadas a carne, produzem os frutos da carne e as que são ligadas no espírito, produzem os frutos do espírito. E nós sabemos que jamais uma consciência que está ligada a carne herda o reino de Deus, pois o reino de Deus é espiritual. No infinito tem-se dois planos, a saber, o plano material e o plano espiritual, trata-se de dois planos opostos. Nós nascemos no plano material pela carne e produzimos a consciência como um fruto natural, mas esta consciência quando madura deveria ser colhida para o proveito eterno do espírito. Na lei está escrito: que no último dia o espírito transporá as nossas consciências de planos e lá no plano espiritual, as nossas consciências gozará a vida eterna do espírito, mas isto se as nossas consciências se entregarem ao espírito. A vida é do espírito, a carne não se aproveita para nada, é só o espírito voltar a Deus, que automaticamente a carne perde a vida, e se a consciência estiver ligada nela, a consciência cairá no vazio eterno.

Hoje, nós temos que plantar a semente do espírito nas nossas consciências para colhermos o fruto da vida eterna, temos que ter frutos dignos de arrependimento, pois a própria consciência sabe que com a carne ela não vai muito longe. Nem Deus explicou o porquê as consciências deixaram o seu espírito para irem atrás da carne que morre. É dentro da consciência que nós devemos inseminar a semente do espírito para que ela se desenvolva, até a estatura completa de Cristo e só assim nasceremos no plano do céu.

Por O teu espírito diz