A hermenêutica da palavra amor, literalmente quer dizer: o sentimento mais puro da compreensão. Se você não compreende, não pode amar. O amor verdadeiro é se colocar no lugar da pessoa de quem diz que ama, e na lei de Deus diz, que primeiro devemos amar a Deus, e só depois o próximo como a nós mesmos. Isto quer dizer assim: devemos compreender primeiramente a Deus, saber o porquê Ele nos criou, nos identificarmos como criação, conhecermos a nós mesmos, realizarmos a vontade de quem nos criou e só depois podemos amar o próximo como a nós mesmos. Como você pode dizer que ama a Deus se não compreende o porquê Ele te criou, não sabe o que tem que fazer como criação? Neste caso como você pode amar o próximo como a ti mesmo? Só podemos amar se compreendermos de verdade o propósito da vida e termos sentimentos por esta compreensão. E o que é ter sentimento?

É estar ligado a ela, isto é, você tem que conhecer o propósito de Deus e estar ligado a este propósito, ou ainda, você deve conhecer e realizar em si mesmo o propósito de Deus para depois amar o próximo como a ti mesmo. Nota que primeiro devemos amar a Deus, depois temos que amar a nós mesmos e só depois amar o próximo como a nós mesmos, pois se não amamos a nós mesmos, isto é, se não compreendemos o propósito da vida, como podemos amar o próximo? Quem tem amor maior que este, de oferecer a vida eterna ao próximo? Que tipo de amor você tem? Oferecer a vida eterna ao próximo ou dar um prato de comida a ele? Como que você pode oferecer a vida eterna se você mesmo não a tem com você? Se nem mesmo você sabe como chegar a vida eterna, como que você pode elucidar outra pessoa a chegar a ela?

Não adianta cantar, orar, salmodiar, poetizar, julgando que está louvando a Deus, que isto não é louvar a Deus, mas louvá-lo de verdade é compreender o seu propósito e realizá-lo. E é simples deduzir isto, pois como que uma caneta gloria ao Homem? Porventura não é escrevendo? Pois foi para isto que ela foi criada. E como que nós gloriamos a Deus? Porventura não é realizando a sua vontade? E como você pode realizar a vontade de Deus se você não conhece que vontade é esta? Primeiro devemos nos identificar como criação, saber o que produzimos como tal e oferecer o que produzimos a Deus, pois Ele é quem deve usufruir do que produzimos, assim como a caneta, que o ser humano é o criador, que usufrui do que a caneta produz. Nós produzimos a consciência, e ela tem várias funções, e todas essas funções tem que ser para o bem do nosso Criador e não nosso, como todos fazem.

As nossas consciências não devem andar pela carne, que é apenas a criação, mas elas devem andar pelo espírito que Deus nos assentou, pois esta é a lei de Deus, que as nossas consciências andem em espírito e não pela carne. Não existe uma forma de a consciência agradar a Deus pela carne, como Paulo disse: é impossível alguém na carne agradar a Deus, pois Deus nos criou para que andemos em espírito e só pelo espírito podemos o agradar, só pelo entendimento podemos agradar a Deus. E como podemos doar amor se não temos amor, isto é, como podemos passar compreensão se nós mesmos não compreendemos?

Por O teu espírito diz