Uma vestimenta real, desde o seu turbante até a barra do seu vestido. Um traje todo feito em pedras preciosas, como o topázio, a ametista, a safira e o marfim. Uma coroa de ouro e brilhantes sobre o turbante, e nos pés uma sandália de texugo. No pescoço um colar de pérolas e nas orelhas e nos pulsos pendentes tecidos de diamante, e no dedo um anel da cor escarlata. Teceu-se toda em brilho para se apresentar diante do Rei, e o Rei a olhou com olhos bons e a fez rainha, e dividiu metade do seu reino com ela, e a apresentou ao povo como sua esposa, e ela se fez a consciência do Rei, e foi encarregada para que ninguém ofendesse a honra do Rei e que condenasse todo tipo de oferendas a outros deuses.

Por isso que hoje, eu vim a este mundo representar esta consciência, esposa do divino, uma alma pura, que não se deixa manchar pelos desejos deste mundo corrupto, que já é do maligno, onde só tem consciências podres, infectadas pelo engano, como se diz de Janes e Jambres, que resistiram a Moisés, assim também estes hoje resistem a verdade de Deus, sendo corruptos no entendimento e réprobos quanto a fé. São infames em suas condutas e desonram a Deus, o Todo Poderoso, pondo as suas vontades próprias a frente da vontade de Deus. Não conhecem o seu lugar e invertem a lógica do entendimento como Paulo disse, servindo e honrando mais a criatura do que o Criador que é bendito. Invertem os papéis e colocam as vontades da criação a frente da vontade do Criador, e ainda dizem: se Deus quiser, eu vou realizar todas as minhas vontades, julgando que esta é a vontade de Deus. Mas neste caso quem é que realizará a vontade de Deus, se as tuas vontades estão à frente?

A vontade de Deus é que tem que estar à frente das nossas vontades, e a vontade Dele, é que as nossas consciências andem pelo espírito e não pela carne. E não que se Deus quiser ele vai realizar as minhas vontades. Eu não posso confessar com a minha boca que sou carnal, mas sim, que sou espiritual. Não são as minhas vontades carnais que tem que serem realizadas, mas sim a vontade de Deus. É uma troca literal de ser, por parte da consciência, a carne pelo espírito. Este foi o erro de Jó, ele era extremamente temente a Deus, mas para Deus ver o seu lado carnal, que mantivesse a sua riqueza neste mundo. E diante disso, é que Jó oferecia oferendas a Deus julgando que Deus estava vendo o lado dele na carne. E Jó era convicto que era temente a Deus, até que Deus tirou tudo que Jó tinha na carne, para mostrar a ele onde a consciência dele estava ligada.

E hoje este é o meu trabalho no mundo por Deus, tentar corrigir este erro de função das consciências, que só visam o lado da carne.

Por O teu espírito diz