Como na analogia de Lázaro que estava enfermo, e sua irmã disse a Jesus: mestre o meu irmão está enfermo e eu sei que tu podes cura-lo, mas Jesus como que não lhe dando atenção foi para outras partes, e Lázaro morreu. Depois de quatro dias que Lázaro havia morrido, Jesus voltou, e Maria foi ao seu encontro, e lhe disse: senhor, se tu estivesses aqui o meu irmão não teria morrido. Jesus, porém, respondeu: o teu irmão não está morto, mas dorme. E indo ao sepulcro, com todos que estavam ali, tinha uma pedra posta sobre o túmulo, e Jesus disse-lhes: tirai a pedra. Mas Marta, irmã de Lázaro, disse a Jesus: senhor, já cheira mal, porque já morreu há quatro dias. Jesus, porém, disse: eu já não te falei que se creres verá a glória de Deus? Tiraram-lhe, pois, a pedra. E o interessante é que mesmo antes de Jesus chamar a Lázaro, elevou os olhos ao céu e disse: Pai, graças te dou, por me haveres ouvido, tal a certeza de que Jesus tinha que aquilo ia acontecer, e tendo dito antes, clamou bem alto: Lázaro! Venha para fora! E o que estava morto dentro do sepulcro, saiu, tendo as mãos e os pés atados com faixas, e Jesus disse: desatai-o e deixai-o ir.

Hoje, quantos Lázaros, estão mortos para o espírito e o próprio espírito diz: eu sou a ressurreição. Mas notem na palavra de Jesus, ele disse que nós teríamos que tirar a pedra, que é a carne, da boca da caverna, que é a consciência, senão, não veremos a glória de Deus, que é a ressurreição do espírito em cada um de nós, como Pedro disse: já é muito, que até hoje andamos pela carne e matamos o espírito de Deus dentro de nós, que de agora em diante, nós ressuscitamos o Cristo de Deus em nós, e matemos a carne, para que o tempo que ainda nos resta nela, não vivamos mais por ela, mas sim, pelo espírito de Deus. É uma troca literal de corpo por parte da consciência, e não é só no entendimento, mas de fato e de verdade, como João, o batista, disse: produzi, pois, frutos dignos de arrependimento, que é de fato deixar de andar pela carne e passar a andar pelo espírito. Isto não é só no faz de contas, mas como Jesus o fez e nos serviu de exemplo, e não só Jesus, mas também, Abraão, Isaque, Jacó, Davi, Paulo e muitos outros. As nossas consciências devem fazer como Rebeca que deixou tudo para se casar com o filho da promessa. Deve fazer também como Rute, que deixou também tudo para buscar abrigo no senhor.

Por O teu espírito diz