Imagine uma situação: a sua consciência sozinha numa encruzilhada, uma seta aponta o céu para um lado, e a outra seta aponta o inferno para o outro lado. Que caminho a tua consciência pegaria? Esta situação existe em muitos momentos, e a tua consciência está nesta encruzilhada constantemente, como Moisés disse: eis que hoje eu coloco dois caminhos diante de vós, o caminho da vida e o caminho da morte, o caminho do bem, e o caminho do mal. Nós sabemos que o caminho da vida é se nós andarmos pelo espírito, e sabemos também que o caminho da morte é se andarmos pela carne. A escolha é sua, desistir da vida eterna e seguir pelo caminho da morte, ou se livrar da morte e seguir pelo caminho da vida eterna. O que vale aqui não é só a sua escolha, mas é o caminho que vai andar, como Paulo disse: não são os que sabem a lei que serão justificados diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados.

O propósito da vida já nos foi apresentado, a tua consciência pode acreditar nele, ou simplesmente ignora-lo, mas a tua consciência continua na encruzilhada da vida. Se ela se disfarçar pegando o caminho da morte, vai parar nos infernos. A decisão é drástica, mas quer coisa mais drástica do que a própria morte? Estamos falando de uma ida sem volta, faz parte do propósito de Deus, acredite ou não, todos passarão por ela. É melhor pegar o caminho da vida agora, do que arriscar o seu breu depois. Não é uma questão de a tua consciência querer ou não, mas isto acontecerá. Não tem como a tua consciência evitar cruzar com a morte, mais cedo ou mais tarde, todos terão que a enfrentar cara a cara. O problema é depois, onde a tua consciência cairá, pois de um lado ou de outro, será eterno, não tem volta. Muitos criam ilusões sobre este assunto, para onde vão depois que morrerem, mas existe uma só verdade, e é isto que assusta a todos, pois ninguém sabe quem está com a verdade, mas quem está com ela com certeza sabe.

Por O teu espírito diz