Passados aproximados dois anos, eu dormi e tive um segundo sonho, e estava no mesmo ponto da estrada do sonho anterior, e já estava desconsolado, como que perdido no tempo, tinha visto muitos carros passarem e até me indagava: talvez ele já tenha passado e eu não vi. Este segundo sonho foi só um lance, mas uma voz, que parecia do além, me dizia: o que você está esperando aí? Eu disse: esperando o filho de Deus passar para ir com ele. A voz só me disse: ele vem num fusquinha vermelho. Dito isto eu acordei, mas mesmo acordado, eu me senti muito feliz e dizia: agora ficou fácil, porque o fusquinha vermelho eu conheço, e quando ele passar é só eu pedir carona e ir embora. E repetia isso várias vezes, agora ficou fácil, e com este bordão passaram-se mais de dois anos, até que um dia eu tive um terceiro sonho da visão, estava no mesmo ponto da estrada e eu vi que já era tardezinha, mas neste sonho tinha um cemitério atrás de mim, e estava tendo um enterro, e a cova que iam enterrar o defunto era bem atrás de mim, como se fosse até a minha própria cova. E um pastor veio e se colocou bem atrás de mim, costa com costa, eu virado pra estrada e ele virado para cova. Puseram o caixão do lado da cova e o pastor começou com o seu discurso.

Ele falava, falava, mas eu não entendia nada, até que acabou o discurso, assim enterraram o defunto e as pessoas começaram a ir embora, mas o pastor ficou intacto atrás de mim, esperando todos irem embora. E neste intermeio, eu lhe fiz algumas indagações, eu dizia: é muito difícil ser um líder né? Ele só me acenava com a cabeça que sim, e eu continuava: porque se um líder for pego em alguma mentira ele vira um banana? E ele com a cabeça me respondia que sim. Eu fiz várias perguntas na mesma linha de pensamentos, e ele sempre balançava a cabeça que sim. Num dado momento ele me disse: o que você está fazendo parado aqui na estrada? Eu disse: estou esperando o fusquinha vermelho, que vem com o filho de Deus, para eu pegar uma carona. Ele me respondeu de uma forma categórica: o fusquinha vermelho é você. Eu lhe disse: por isso eu disse que o fusquinha vermelho eu conhecia, né? Porque eu me conheço?

Ele me dizia que sim com a cabeça. Eu dizia: então o filho de Deus já está em mim, é ele quem já me dirige? Ele sempre com a cabeça me dizia que sim. E eu acordei, e foi assim que eu descobri o filho de Deus em mim, o Cristo, e não Jesus, como eu pensava e todos pensam até hoje. Cristo não é Jesus, mas é este espírito que já nos dá a vida, ele é o vindo de Deus, é ele quem irá nos conduzir ao céu. Eu também estava esperando por Jesus como todos, estava em vão o esperando na estrada da vida, mas hoje eu não estou mais parado na estrada, mas ando no caminho da vida com o meu senhor, e ele está me conduzindo ao céu, para me encontrar com Deus, o meu Pai eterno.

E hoje estou aqui, para passar esta informação a todas as consciências, que assim como eu estava, elas também estão enganadas, pois o filho de Deus já está dentro de todas elas, é ele quem já nos dá a vida, é com ele que as nossas consciências tem que ir e não ficar esperando por Jesus e andar pela carne que morre. O fim da tua carne é o caixão e a consciência que não for com o espírito de Deus para o céu, cairá no vazio e ficará aí esperando por Jesus eternamente.

Bem, é isto que tenho a falar a vocês, consciências, pensem bem e comecem a andar pelo caminho da vida, pelo senhor e saiam do caminho da morte ou ficarão esperando por quem não virá?

Por O teu espírito diz