A consciência é um espelho ambulante, que reflete tudo o que os olhos da carne veem. Mas ela tem também, o olho do raciocínio lógico, que faz ela enxergar pelo entendimento. Mas acontece que quase todas as consciências são cegas por este olho. Na verdade, não é questão de serem cegas, mas é porque elas têm o raciocínio atrofiado. Qualquer consciência que buscar enxergar por este olho, com um pouquinho de ajuda, já desobstrui e enxerga por ele, como Paulo, que lhe caíram as escamas do olho e ele viu tudo do propósito de Deus.

Todas as consciências têm este olho do raciocínio e podem enxergar por ele, é só raciocinar. Se uma consciência não consegue raciocinar sozinha, basta ela me acompanhar no raciocínio que ela desobstruirá este olho e enxergará por ela mesma. Nós devemos partir do princípio do eu existo e que temos um corpo muito complexo para ser obra do acaso. Neste ponto, já vem a imagem de um Criador, e se eu tenho um Criador, trazemos também junto com Ele, o motivo que levou Ele a nos criar. E este motivo, nos traz a ideia de que produzimos algo como criação que interessa a Ele. E é neste ponto, que requer uma reflexão mais profunda, porque vamos refletir o que produzimos pelo próprio produto que produzimos, pois é este produto que raciocina. E por onde é que nós raciocinamos? Porventura, não é pelas nossas consciências? Eu sei que isso é muito difícil para uma consciência refletir, pois seria o mesmo que o próprio espelho refletisse ele mesmo. E é neste ponto que todas as consciências se perdem no entendimento, pois como uma consciência pode se auto definir como consciência? Ela sempre se definirá por quem se manifesta por ela, assim como um espelho, que quando colocado diante de uma pessoa vai refletir a imagem da pessoa, e não o espelho.

Mas continuando no raciocínio lógico, vamos falar agora de uma coisa certa, a morte da nossa carne, e nós sabemos disso, como está na lei, o pó volta ao pó como era. Mas nós sabemos também, como uma lei universal, que a vida está no espírito e que já é ele quem nos dá a vida, e o nosso Criador nos assentou a porção do seu espírito pela vida. E pelo raciocínio lógico o que uma criação produz deve servir o Criador dela e não ela mesma como todos fazem, pois foi aí que o ser humano comeu o fruto proibido.

E é assim que enxergamos pelo raciocínio lógico, quem quiser ver mais para saber o desfecho desta história, estou aqui para continuar falando pelo entendimento.

Por O teu espírito diz