Deus é espírito, e não tem como de si mesmo, gerar filhos na carne, pois como um ser espiritual pode gerar de si mesmo filhos na carne? É certo que na carne somos criações de Deus, e não filhos legítimos da sua vontade. Mas acontece, que na carne como criação, nós produzimos a consciência, a consciência é um estado neutro, podendo se manifestar nela qualquer coisa, e nós vemos que manifesta, pois nas nossas consciências manifestamos tudo. Mas dentro do propósito de Deus, a simples manifestação não é nada, mas a questão está na ligação que a consciência tem pelas coisas. O que liga uma consciência a qualquer coisa são os sentimentos que ela tem pela coisa. O sentimento pode ser de afeição, de carinho que ela tem pela coisa, sentimento de apego demonstrado por apreço, por consideração e até mesmo por amor, por reconhecer que a coisa de que você tem apego, precisa de você, como o sentimento de uma mãe pelo filho.

Mas por outro lado, Deus, o nosso Criador, nos assentou a porção do seu espírito pela vida, e pelo raciocínio lógico o que uma criação produz deve servir o criador dela e não ela mesma, e dentro disso, a consciência deve se ligar no espírito pelos sentimentos e não pela carne. João, o batista, disse assim pela carne, se referindo a este espírito: eu não o conhecia, mas para que ele fosse manifestado por minha consciência, vim eu na carne, pois sou eu na carne que produzo a consciência de todas as coisas. E acrescentou: quem tem a minha consciência, é o espírito de Deus e não a minha carne, no que, a minha carne já está satisfeita por cumprir com o propósito de Deus, e esta minha missão já está cumprida, e que de agora em diante o espírito cresça por minha consciência, e que eu na carne diminua. Devemos fazer o que o profeta Oséias disse: conheçamos e prossigamos em conhecer ao senhor, porque a sua vinda é certa, e ele a nós virá de repente, como a chuva serôdia.

E este espírito com a minha consciência é que se faz um filho legítimo da vontade de Deus, mas as consciências que não conseguirem se desvincularem da carne pelos sentimentos, não se farão um filho de Deus no espírito e nem herdarão a vida eterna dele, mas cairão no vazio eterno quando a carne morrer.

Por O teu espírito diz