Não existe paz maior para uma consciência do que ela realizar o propósito do Criador nela, pois viemos e estamos neste mundo só por conta disso. Só o falar do propósito de Deus as outras consciências, elas já sentem paz, imagine realizar o propósito de Deus nelas, elas entram em êxtase profundo. Só quem entra neste estado, sabe o que é. A consciência sai deste mundo e sente o prazer de Deus nas alturas, isto não pode ser forçado, mas é como se tivesse uma visão do sobrenatural, precisa ter uma concentração profunda no espírito de Deus, que só assim, até o respirar traz paz ao ambiente. As pessoas que estão ao seu lado sentem este prazer do espírito de Deus em você. Basta você abrir a boca, que já mexe com o espírito que está dentro delas, como Isabel que ficou mexida com a saudação de Maria. Eu noto que as consciências se sentem bem quando nós falamos do propósito de Deus, mas parece que elas têm meio que medo de mexer com o sobrenatural, elas são presas a carne, e na carne elas se sentem seguras, firmes, mas quando se fala do espírito, elas gostam, mas parece que estamos falando de fantasma. Pior ainda quando falamos que para andar pelo espírito temos que morrer na carne, daí elas ficam sem chão.

Elas querem voar, mas não no espírito e sim na carne, pois se sentem muito inseguras fora da carne. Isto é comparado quando um pai manda um filho pular de certa altura, e que ele vai segura-lo, mas o filho fica com medo. Ele quer pular para sentir a liberdade, mas não confia. Mas depois que pula a primeira vez e sente a sensação da liberdade e da confiança no pai, quer pular toda hora e cada vez mais alto. Isto só acontece quando a consciência aprende a confiar em Deus, como Moisés que estava todo cercado com o povo hebreu e dizia: vamos dormir, porque nós estamos nas mãos de Deus, e como Eliseu também, que estava cercado pelo exército Sírio e estava totalmente despreocupado. E Davi disse assim: mesmo que um exército me cercasse, Nele eu confiaria.

Enquanto uma consciência não sentir esta verdade de Deus nela, não consegue sair do chão. Com o espírito nós voamos bem alto, vamos até ao céu, mas com a carne já sabemos que vamos para debaixo do chão. Viver pelo espírito é pura adrenalina, mas viver pela carne, a coisa é fria. Por isso o espírito excita o ambiente e deixa ele em estado de ebulição. Mas isto não pode ser forçado, mas natural, pois é o estado do espírito, é o espírito que já mantém a temperatura do nosso corpo elevada e quando falamos por ele, a temperatura aumenta mais ainda.

Por O teu espírito diz