Esta expressão significa terminar algo de maneira bem-sucedida; encerrar com êxito, produzindo um belo efeito. É evidente que não há melhor encerramento, do que chegar o dia da nossa partida deste mundo tendo concluído o que realmente fomos predestinados a cumprir. É ter cuidado e zelado da própria consciência, é ter enxergado o propósito da vida e concluído o processo de metamorfose existencial e conseguido transpor sua alma ao plano celestial. Mas para que chegue a este estágio, a consciência precisa enxergar com perfeição tudo que concerne a nossa razão. E temos em nós uma chave reluzente, que chega ofuscar nosso olhar, abre a porta do entendimento fazendo a compreensão reinar. O raciocínio lógico é a esta chave que abre a nossa mente, amplia a nossa visão, acende a luz da sabedoria e dissipa toda nossa escuridão. O negrume da ignorância que nos afasta da verdade, aquela que fere, mas cura, cicatriza e traz a liberdade. Faz a alma desprender-se do pó, que um dia ao pó tornará, faz a junção com a vida e desata todo nó que à consciência condenará. A expressão é bonita e dá ânimo ao coração, mas o que vale é a história vivida praticando a nossa função.

Por Michele Mi