Ela veio para me levar com sua luz radiante, com seu poder agiu no meu transformar numa bolha flutuante. Sua ação é esplendorosa e sem ela nada seria, ó vida majestosa, minha perfeita simetria. Minha consciência andava nas penumbras antes de te reconhecer, pela ignorância ficava em mim oculta, até a sabedoria me acender. Foi quando acordei do meu sono, profundo, ilusório e tão frio, mudei minha visão, meu rumo e na minha tez refletiu o seu brio. Desde então eu levo a vida guardada em minha bagagem, no meu coração, na minha alma até completar minha viagem. Ela aponta o sentido, como bússola em alto mar mostrando a direção e o caminho que os meus pés devem trilhar. Vida que aquece meu interno e em minhas entranhas palpita, se expressa por minha boca, poetiza nas entrelinhas. Luz perene e suave que abrasa constantemente, condena o coração falho, leveza da sábia mente. Te levo no meu imo e tu me levas por sua mão, até chegar no nosso destino, liberdade da imensidão.

Por Michele Mi