Batuta na mão e partitura escrita, universo como canção, criado por sua autoria. Não pode desafinar e mudar a melodia, mas tudo deve sincronizar, e soar em harmonia. Aos ouvidos perceptíveis é nítido a perfeição, um concerto real e finíssimo contemplado pelo coração. A vida denota cor e quando se vai, fica o silêncio, uma pausa sem volta, deixando um vazio intenso. A canção da paz ecoa, chamando as almas para dançar, refrescar-se na garoa e de seus bens desfrutar. Mas a insanidade é grande e insistem trocar a melodia, desafinar os instrumentos e despedir a alegria. Mas eu me inspiro com a vida, com seus detalhes e linguagem, ela brilha no palco sua estrela e segue sua viagem. Eu acompanho seu ritmo e sinto sua emoção, no mais profundo do meu íntimo pulsando meu coração. Notas de preparação que mostram o que está por vir, não há fim para sua canção, como é bom sua intensidade sentir, elevar-se nas alturas, reconhecer seu timbre, fazer parte dessa partitura, desfazer do que nos coibe. Faço-me sua voz para ecoar sempre sua verdade, em meio a esse tempo atroz, mostrar a música da liberdade.

Por Michele Mi