Palavras são levadas com o vento, mas o que marca e fica gravado são as nossas ações. São os atos e frutos da nossa consciência que transparecem nossa visão, índole, caráter, objetivo e o caminho que trilhamos e fora ainda tudo isto tem o sentimento, que este sim é profundo, é a haste que liga a consciência a algo e como se fosse um termômetro detecta os graus da temperatura, indicando realmente onde cada interno se mostra frio ou quente. Por isso não são as palavras, que muitas vezes são cheias de entendimento, mas são frias, não tocam a alma, não causam reação no coração, mas como uma expressão que ouvi e gostei muito, deve ser um amor perfeito, onde a compreensão anda junto com o sentimento, assim como as palavras devem andar juntamente com as ações destas e isto serve em todos os quesitos e situações da nossa vida, principalmente na prática da nossa razão de existir, pois eu saber e falar sobre o assunto não traz nenhum resultado, mas os meus atos em torno disso é que se dá minha própria transformação, a metamorfose existencial. São os frutos dignos de arrependimento e as nossas obras que consumam o crer nas palavras que nossa boca proferem. As palavras são quais as sementes e precisam de uma terra fértil para brotar e florescer. A consciência é esta terra e precisa ser trabalhada e cuidada para estar dentro da lei, para que as sementes das palavras produzam o fruto esperado pelo agricultor.

Por Michele Mi