Ninguém pode dizer que se conforta na verdade, indo atrás da mentira, e nem alcançar o saber, indo atrás da ignorância. Fora do raciocínio lógico, qualquer pensamento absurdo que se tenha, te leva ao engano, e o engano não chega a lugar algum. Para bebermos da água da sabedoria, primeiro temos que descobrir a fonte dela. Fugir dos problemas não é ser sábio, mas é dar um tempo para eles se fortalecerem. Ninguém vence um inimigo fugindo dele, mas é preciso enfrenta-lo. O coração fraco nas mãos do lopreu, desiste da luz da vida e anda no breu.

Quem melhor sabe para que serve uma criação senão o criador dela? Se um criador não souber o porquê criou a sua criação, quem mais pode saber? O que o criador espera da sua criação, por ventura não é que ela execute a sua função como tal? Como que uma criação gloria o seu criador? Por ventura não é realizando a vontade dele? A caneta, por exemplo, foi criada para escrever e como ela gloria quem a criou? Por ventura não é escrevendo?

Por todos os laços, que o raciocínio lógico nos mostra, o ser humano é uma criação, e como na lei de criador-criação, o ser humano deve fazer a vontade de quem o criou, pois o ser humano não foge a regra. Sempre funcionou assim, o que uma criação produz deve servir quem a criou. O ser humano, como criação, produz a consciência das coisas, e pela regra, ele deve produzir a consciência que sirva ao seu Criador e não que sirva a si mesmo.

A paz verdadeira de todas as consciências está justamente em entrar em harmonia com o Criador e para isso cada consciência deve reconhecer-se como tal e buscar o entendimento na fonte da vida que já habita em cada um e começar a plantar as sementes da vida dentro de si, pois na estação correta colherá o fruto da paz.

Por Michele Mi