O princípio de todas as coisas é a compreensão, e só depois vem a prática desta compreensão. O amor é o sentimento mais puro da compreensão, pois não basta só a compreensão de alguma coisa, se não tivermos os sentimentos por ela, pois são os sentimentos que movem todas as coisas. A compreensão em si mesma é morta, mas o que nos faz agir em torno da compreensão é o sentimento, e o amor é o sentimento mais puro da compreensão.

Tanto o sentimento quanto a compreensão devem andar juntos, daí sim teremos o amor perfeito, por isso Pedro disse: sobretudo, temos que ter ardente amor uns pelos outros, porque o amor cobrirá uma multidão de pecados, isto é, a compreensão elimina todos os erros de uma consciência, mas cobrir aqui, tem o sentido de apagar e não de esconder, tipo assim: nós podemos errar num ponto até compreende-lo, mas uma vez compreendido, apaga-se até então o que errou. Quando Dimas compreendeu a sua situação diante da situação de Jesus, ele se arrependeu do que fez, e se naquela hora ele fosse tirado do madeiro, nunca mais ele erraria de novo, assim como Jó, que se arrependeu no pó e na cinza por ter reconhecido a sua miséria.

Então, o amor é um sentimento puro, mas se não houver compreensão, o amor se torna nulo, pois de que vale você amar a Deus, como diz que ama, e não compreender o seu propósito? Neste caso, o amor a Deus se torna nulo. Da mesma forma, o amor que você diz ter ao próximo, de nada vale se você não o compreender. Como eu posso dizer que amo alguém que não conheço? Conhecer não é só de vista, mas de sentir, de dialogar, de poder pegar. Tem que ser um sentimento puro, sem maldades, sem más intenções, mas um sentimento do fundo do coração. Quem ama assim de verdade neste mundo? Sem querer nada em troca, sem barganha, mas amar simplesmente por amar. Se doar sem cobrar, este é o amor que devemos ter para com Deus e para com o nosso próximo.

Imagine a cena: nosso irmão Jesus estava sendo morto e sentia amor por aqueles que o matavam e ainda pedia a Deus, seu Pai, que não lhe imputassem aquele pecado, pois via que eles viviam na ignorância. Compreender quem te ama, não é uma tarefa difícil, mas compreender quem te odeia, é para poucos.
Quem você ama de verdade, sem querer nada em troca? Em que situação você deixa de compreender o teu próximo? Se você chega a esta situação, é porque você não o ama de verdade. Ser bom ao próximo, desde que ele faça tudo por você, é moleza, mas fazer o bem para quem não quer nem ver a tua cara, o último que eu tenho notícia foi Jesus.